Esqueça os jargões jurídicos, as palavras difíceis e o estilo fabricado. O formalismo engravatado vai te tornar um jurista esquecível. A pompa e os discursos ininteligíveis são luxos dos advogados que têm dinheiro e lobby. Se você não tem nada disso, se for um mero mortal, um pequeno nemo no meio dos tubarões, então dependerá única e exclusivamente do seu carisma e das suas ideias.

Você tem que falar e escrever bem. Precisa convencer as pessoas, sem medo de colocar uma pitada de novidade na sua prática jurídica. Eu sei que o direito é um terreno inóspito. Seus habitantes são conservadores. Mas você precisa arriscar.

As pessoas têm receio do que elas não conhecem, porém tudo é uma questão de encontrar o equilíbrio entre o que elas estão acostumadas e o que precisam para sair da zona de conforto. Em Impossible to Ignore, Carmen Simon explica que as pessoas agem em torno do que elas lembram, e não em torno do que elas esquecem. Você não será lembrado se repetir as velhas fórmulas. Será ignorado, se colocar a mesma roupa e escrever do mesmo jeito pra falar das mesmas coisas. 

Você precisa antecipar o futuro para influenciar a memória dos outros. Elaborar uma narrativa emocionante e verdadeira que te fará ser um advogado inesquecível.

 

1) Comece escrevendo bem

Faça as suas petições serem sexy. Escrever é sedução, como diz Stephen King. Uma boa conversa faz parte da sedução. Seja menos formal. Mais conversacional. Sem assustar, é claro, o juiz. Tempere o texto ao seu gosto, mas não vá colocando pimenta demais no prato alheio. O seu público tem que gostar do que você escreve. Corte palavras, retire chavões e evite ao máximo termos técnicos desnecessários. Seja breve. Não seja chato. Conte uma boa história. Saiba atiçar nas preliminares e todos vão se apaixonar por você já no primeiro parágrafo.

 

LEIA
Passar na OAB: 5 dicas infalíveis para acertar as questões objetivas

2) Tenha estilo

No direito é complicado mexer na roupa. Seja tradicional aí. O máximo que dá pra fazer é ser detalhista. O nó na gravata pode fazer a diferença para os homens. Um conjunto elegante de acessórios pode ser o charme do visual das mulheres. Mas eu não vim aqui pra falar disso.

Ter estilo é ter personalidade. É contar uma história verdadeira, que levante a sua autoestima e a dos outros. Não seja tóxico. Babaovo. Arrogante. As pessoas, em geral, detestam isso. Só aturam por medo ou por falta de melhores referências. Seja aquele advogado que luta pela justiça. Mas seja de verdade. As máscaras caem mais cedo ou mais tarde e só a coerência conquista um público qualificado. Faça o Supremo Tribunal Federal cair em lágrimas. Faça com que as pessoas torçam por você pelo que você realmente é.

Foto: Nancy Stone/TNS via Getty Images

Lembre-se dos advogados de Nova Iorque que lutaram pelos imigrantes e refugiados. O presidente Donald Trump barrou diversos deles no Aeroporto John F. Kennedy e os advogados foram lá em busca de clientes, com um trabalho voluntário que fez jus à concentração democrata nova-iorquina. Eles buscavam as pessoas nas filas da imigração e redigiam as defesas em laptops no chão. Havia advogados 24 horas por dia, falando com as famílias, elaborando estratégias, fazendo tudo o que podiam. Essa é uma linda história que te torna inesquecível.

 

3) Aprenda com Martin Luther King

Faça o seu sonho surgir na mente do juiz. Você é advogado. Acredita na força transformadora do direito e no combate às injustiças sem violência. A política limita a guerra. O direito tenta limitar a política. O advogado inesquecível é um comunicador talentoso, apto a limitar a política e reequilibrar o jogo de forças. 

Invista na oratória. As Faculdades de Direito cometem um erro grosseiro ao não utilizar métodos educacionais ativos, que preparem os alunos para falar bem. Saiba improvisar. Conheça os grandes discursos que mudaram a história da humanidade. Aprenda a dar musicalidade à voz falada, expressando sentimentos, trabalhando com as pausas e alterando os timbres.  

 

LEIA
Greta Thunberg alerta: "Nós estamos ignorando soluções climáticas naturais".

4) Estude para ser Independente

Leia o que o seu coração mandar, e não o que mandaram você ler. Não adianta nada repetir o livro que o juiz já leu um milhão de vezes. Você precisa ser diferente. Construa a sua própria bibliografia. Descubra novos autores. Não se sinta pressionado para falar o que todo mundo fala. Corra atrás dos seus próprios clientes e construa a sua erudição pelos seus estudos. Tem gente tóxica que quer você às sombras dela, sendo papagaio de pirata. A internet é um instrumento incrível para a sua independência. Procure livros de temas que te interessam na Amazon. Aproveite os bancos de dados online para ler artigos recentes.

Seja memorável. Inesquecível. Você merece e a sua carreira também.