Passar na Prova da OAB é um desafio para os estudantes de direito. A prova é dura. Cai a matéria de 5 anos de faculdade e ainda bate a ansiedade diante das 80 questões objetivas.

Se você não tiver um plano de prova, pode perder horas importantes de estudo e reprovar no exame. Sem estratégia, você acaba caindo da escada.

Seja para a vida ou para as provas, o método de estudo faz a diferença. Como estudar é tão importante quanto o que estudar. Você precisa saber a matéria na medida certa, tendo noção do conteúdo que te fará acertar as questões objetivas da OAB.

Afinal, para a prova, talvez você não precise saber o conceito filosófico do poder constituinte originário em Antonio Negri. Mas é importante saber as características do poder constituinte originário; aquelas mesmas que estão nos Manuais de Direito Constitucional.

 

Passar na OAB fazendo Questões Objetivas

 

O meu método preferido é o de exercícios: fazer questões. Praticar questões é aprender como as matérias caem na prova. Elas ficam fáceis depois que você sabe como a prova é feita.

Tenho 5 dicas infalíveis para você aprender este método de estudo e realizar o seu sonho de advogar no nosso Brasil.

 

1. Faça muitas questões do Exame da Ordem

A quantidade de questões objetivas faz diferença. A repetição leva à perfeição. Quantas vezes você teve que ouvir uma palavra numa língua estrangeira, até internalizá-la e repetir com perfeição? Várias vezes. É a mesma coisa com o direito.

Repetir, repetir e repetir. É repetindo que se passa. Deixa para errar no treino, e não na prova. Se aa mesma questão aparecer mais de uma vez, faça ela de novo para garantir que você sabe.

Eu recomendo que você faça ao menos 10 vezes o número de questões da prova. 10 vezes 80 é igual a 800 questões. Parece muito. Só que não. Se fizer uma prova da OAB por semana (80 questões), você termina em pouco mais de 2 meses.

 

2. Pratique sem consultar as leis

 

Você não poderá consultar os códigos na prova da OAB. Pratique, então, sem consultar as leis. Se acertar, acertou. Se errar, errou.

É errando que se aprende a lidar com as frustrações, preparando o conhecimento para no futuro acertar mais. Perca o medo de errar, pois faz parte do processo. Se fizer as questões com o código, você vai se iludir, pois acabará acertando aquelas que erraria se não tivesse consultado as leis. Causa uma falsa percepção de aprendizado.

Resolva as questões sem consultar as leis ou a doutrina, pois assim você consegue medir o seu progresso.

 

Estude em um ambiente leve e pense positivo.

 

3. Respeite o tempo da prova da OAB

 

Não adianta responder a questão corretamente, se você demorou tempo demais nelas. É importante respeitar as 5 horas de prova para as 80 questões do exame da ordem. Tempo é escolha. Você tem o poder de escolher quanto tempo levará em cada questão.

São 3 minutos e 75 segundos para cada questão. Se você demorar apenas 3 minutos em cada uma, consegue responder a prova toda tranquilamente. Lembre-se: você tem o poder sobre a questão, e não ela sobre você. Nos exercícios, leve no máximo 3 minutos em cada questão e você vai se sair muito bem na administração do tempo.

 

4. Revise as questões

 

Se a prática leva à perfeição, a repetição é o segredo da boa prática. Os gênios repetiram milhares de vezes a mesma técnica para dominá-la. Um bom pianista precisa repetir várias vezes os mesmos exercícios para ser mais ágil e tocar músicas difíceis. É a mesma coisa no direito.

Guarde as questões que você já fez em uma pasta para revisitá-las e relembrar os seus erros e acertos. O site Qconcursos permite que você armazene as questões em pastas digitais. Organize-se para rever o que você já fez.

 

5. Analise o seu perfil de candidato

Conheça as suas forças e fraquezas no direito.

 

Verifique quais matérias você erra mais e quais você acerta mais. Faça uma tabela de erros e acertos, de acordo com as matérias. Por exemplo, estude mais Direito Civil, quando perceber que erra mais as questões dessa disciplina. Você pode compensar o tempo em relação à matéria que você acerta mais.

A revisão das questões permite que você faça uma análise do seu perfil de candidato. Se você está mais para constitucionalista do que para civilista, então está na hora de estudar mais Direito Civil, porque, para passar na OAB, você precisa ser um “bom generalista”.

Calcule as porcentagens das questões que você acertar por matéria e faça uma autoanálise para saber as razões dos seus erros. Isso vai te ajudar não apenas para a prova, mas também para a vida! Você aprimorará o seu autoconhecimento sobre o seu perfil de jurista.

Eu tenho dado várias dicas para passar em concursos públicos na lista de e-mails do Direito Novo. Assine a nossa newsletter para receber esses conteúdos exclusivos.

Até a próxima!

 

Sobre Igor Pereira

Doutor e Mestre em Direito pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Estuda Master of Laws na Universidade da Califórnia - Berkeley. Já lecionou na UERJ, UFRJ, FGV e em outras universidades. É o líder da Clínica DDP - Direitos Humanos, Desconstrução e Poder Judiciário, com atuação no Supremo Tribunal Federal e na cidade de Nova York. Autor de diversos livros e artigos jurídicos. Gosta do pragmatismo norte-americano, mas sem dispensar o bom gosto parisiense.

Visite o meu Site
Veja todas as postagens

Comentários