Erro no banco de dados do WordPress: [Table 'u216497275_sql1.wp_prli_links' doesn't exist]
SELECT li.*, CONCAT("https://direitonovo.com","/",li.slug) AS pretty_url FROM wp_prli_links AS li WHERE id='47' AND link_status='enabled'

Erro no banco de dados do WordPress: [Table 'u216497275_sql1.wp_prli_links' doesn't exist]
SELECT slug FROM wp_prli_links

Erro no banco de dados do WordPress: [Table 'u216497275_sql1.wp_prli_links' doesn't exist]
SELECT li.*, CONCAT("https://direitonovo.com","/",li.slug) AS pretty_url FROM wp_prli_links AS li WHERE slug='2t21' AND link_status='enabled'

Erro no banco de dados do WordPress: [Table 'u216497275_sql1.wp_prli_links' doesn't exist]
SELECT li.*, CONCAT("https://direitonovo.com","/",li.slug) AS pretty_url FROM wp_prli_links AS li WHERE slug='2t21' AND link_status='enabled'

Erro no banco de dados do WordPress: [Table 'u216497275_sql1.wp_prli_links' doesn't exist]
SHOW FULL COLUMNS FROM `wp_prli_links`

Erro no banco de dados do WordPress: [Table 'u216497275_sql1.wp_prli_link_metas' doesn't exist]
DELETE FROM wp_prli_link_metas WHERE meta_key='google_tracking' AND link_id=0

Erro no banco de dados do WordPress: [Table 'u216497275_sql1.wp_prli_link_metas' doesn't exist]
INSERT INTO wp_prli_link_metas (meta_key,meta_value,link_id,meta_order,created_at) VALUES ('google_tracking','1',0,0,'2020-11-29 05:22:32')

Erro no banco de dados do WordPress: [Table 'u216497275_sql1.wp_prli_links' doesn't exist]
SELECT li.*, CONCAT("https://direitonovo.com","/",li.slug) AS pretty_url FROM wp_prli_links AS li WHERE id='' AND link_status='enabled'


Notice: Trying to get property 'id' of non-object in /home/u216497275/domains/direitonovo.com/public_html/wp-content/plugins/pretty-link/pro/app/controllers/PlpPostsController.php on line 242

Notice: Trying to get property 'link_cpt_id' of non-object in /home/u216497275/domains/direitonovo.com/public_html/wp-content/plugins/pretty-link/pro/app/controllers/PlpPostsController.php on line 243

Erro no banco de dados do WordPress: [Table 'u216497275_sql1.wp_prli_links' doesn't exist]
SELECT plm.meta_value as replacement_url, CONCAT('https://direitonovo.com/',li.slug) AS url FROM wp_prli_links li JOIN wp_prli_link_metas plm ON li.id = plm.link_id WHERE plm.meta_key='prli-url-replacements' AND plm.meta_value <> '' AND li.link_status='enabled'

Erro no banco de dados do WordPress: [Table 'u216497275_sql1.wp_prli_links' doesn't exist]
SELECT kw.text as keyword, li.name as title, li.url as link_url, li.id as link_id, CONCAT('https://direitonovo.com/',li.slug) AS url FROM wp_prli_links li JOIN wp_prli_keywords kw ON li.id=kw.link_id WHERE kw.text <> '' AND li.link_status='enabled' AND li.url NOT LIKE '%/index.php/2017/11/01/stj-e-os-alimentos-gravidicos/' ORDER BY CHAR_LENGTH(kw.text) DESC, kw.text ASC

 

O pai não pode abandonar a mãe na gravidez. Não há gravidez segura sem respeito à dignidade da mulher. Ela precisa de conforto e recursos para que o bebê possa nascer saudável: alimentação especial, assistência médica e psicológica, exames complementares, internações, parto, medicamentos e outras necessidades indispensáveis.

Os alimentos gravídicos existem para proteger o nascituro durante a gestação. A 3ª Turma do STJ decidiu poupá-lo de processos desnecessários. Ela decidiu que a ação de alimentos gravídicos não se extingue ou perde o seu objeto com o nascimento da criança.

Os alimentos simplesmente se convertem em pensão alimentícia em favor do recém-nascido, até que haja uma ação revisional que solicite o aumento, a redução do valor ou até mesmo o seu fim.

A ação de investigação ou negatória de paternidade também pode extinguir o dever de pagar pensão alimentícia.

Simplificando

O pai paga os alimentos gravídicos para o bebê nascer saudável, mas a responsabilidade dele não acaba com o nascimento. A mãe não tem como cuidar da criança sozinha. O pai tem que pagar pensão alimentícia em favor do recém-nascido.

Os alimentos gravídicos evoluem para pensão alimentícia, automaticamente. A decisão do STJ segue o que está expresso no artigo 6º, da Lei 11.804/2008:

Após o nascimento com vida, os alimentos gravídicos ficam convertidos em pensão alimentícia em favor do menor até que uma das partes solicite a sua revisão. 

O STJ, assim, respeita a lei, dá celeridade e facilita o acesso à justiça. Já pensou se o recém-nascido tivesse que pedir uma nova decisão para o juiz só porque nasceu?! Não seria razoável. Não faria sentido algum.

STJ, 3ª Turma, REsp 1.522.142-PR, Rel. Min. Marco Aurélio Bellizze, por unanimidade, julgado em 13/6/2017.

 

LEIA
Direito Novo - 1ª Coleção de Pensamentos Jurídicos
close

GANHE O NOSSO EBOOK!

ASSINE A NOSSA NEWSLETTER E GANHE O NOSSO EBOOK DE JURISPRUDÊNCIA! APRENDA TUDO SOBRE O STF E O STJ.

Não enviamos spam! Você receberá cerca de 2 emails por semana.

ENTRE PARA O CLUBE!

JUNTE-SE A MAIS DE 5.000 MEMBROS VIPs, PARA RECEBER NOTÍCIAS JURÍDICAS SEMANAIS, JURISPRUDÊNCIA COMENTADA E CONTEÚDO EXCLUSIVO.

Não enviamos spam! Você receberá cerca de 2 emails por semana.